Três mil portugueses regressam ao país por falta de obras em Angola

0

Foram trabalhar para as obras em Angola, mas o cenário atual fê-los regressar a Portugal. A queda acentuada das receitas do petróleo observada no início do ano gerou uma “crise de liquidez” que forçou o Governo daquele país a interromper trabalhos em muitas obras.

Desde janeiro regressaram a Portugal três mil portugueses que tinham ido para Angola trabalhar na construção civil. A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias.
Segundo o jornal, Angola está a atravessar um problema de liquidez grave provocado pela redução das receitas do petróleo, com a sua desvalorização no mercado. O Governo angolano decidiu, por isso, travar algumas obras que estavam a decorrer.
Em abril, o Sindicato da Construção em Portugal avisava que vários trabalhadores estavam com o salário em atraso. A situação foi resolvida, mas as empresas estão a fazer regressar os seus trabalhadores.
Aos três mil que já voltaram “muitos mais se seguirão”, afirma Albano Ribeiro, presidente do sindicato, ao JN.
O sindicalista adianta que há empresas de construção civil que têm obras noutros países e, portanto, deslocalizam os trabalhadores para lá, mas isso não acontece com todas.
Em declarações ao jornal, a presidente da Câmara Luso-Angolana diz não ter conhecimento de “redução massiva de trabalhadores” e sublinha que “a construção vive de períodos”.
Em julho, deverá ser lançada uma linha de crédito de 500 milhões de euros para ajudar as empresas que trabalham com Angola.

Fonte: Rádio Renascença

Proteja melhor as suas máquinas nas diferentes obras tornando-as localizáveis.

Share.
Saiba mais sobre:   Internacional

Leave A Reply