TopMix Permeable: o betão poroso que diz acabar com as cheias nas cidades (com vídeo)

1

Foi criado a partir do cimento permeável tradicional pela Lafarge Tarmac e consegue absorver mais de 3.300 litros de água por minuto. Chama-se TopMix Permeable e promete acabar com os alagamentos nos centros urbanos. Este novo betão poroso apresenta também vantagens a nível térmico, já que mantém uma temperatura mais fresca do que o asfalto comum em dias de calor.

Este novo cimento, que escoa mais de 3.300 litros de água em 60 segundos, foi desenvolvido no Reino Unido pela Lafarge Tarmac. A empresa quer erradicar as inundações e a água no asfalto em geral, tornando as estradas, parques de estacionamento e os passeios mais seguros, conta a Tech Insider.
O betão poroso TopMix pode também resolver o problema das inundações em zonas urbanas e residenciais, já que é muito absorvente e escoa a água diretamente para o solo de forma quase imediata.

Através deste sistema, a água passa pelo cimento poroso para um sistema de drenagem, entrando depois nas águas subterrâneas.
O próprio asfalto também funciona como reserva de água durante inundações ou chuvas intensas. Além disso, em dias de calor, este asfalto não é tão quente como o asfalto normal.

No entanto, não será viável aplicar este cimento em locais de temperaturas muito frias, já que água acabaria por congelar e danificar o asfalto.

Este TopMix foi desenvolvido a partir do cimento permeável já existente há 50 anos, mas foi agora reformulado pela Lafarge Tarmac para que suporte o peso dos veículos.

Por: André Vinagre | Fonte: Jornal de Negócios | Fonte (vídeo e imagem): Tarmac

Proteja a sua frota de máquinas e pesados com a geolocalização.

Share.
Saiba mais sobre:   Máquinas e materiais

1 comentário

  1. Sebastiao Santos on

    Estão erradamente, a chamar cimento absorvente, a betão poroso que é uma coisa completamente distinta. Meus senhores lamento informar que em Portugal se produz Betão poroso, a mais de 20 anos. O vosso artigo esta completamente errado, induz as pessoas em erro, para além de que, quem por ventura, assina o artigo não conhece nada daquilo que escreve.
    Sebastião Santos

Leave A Reply