Teixeira Duarte com menos 89% de facturação na Venezuela

0

A construtora portuguesa Teixeira Duarte (TD), sofreu uma forte quebra na sua faturação gerada no mercado venezuelano. Analisando os primeiros nove meses do presente ano, e comparando com o seu período homólogo, evidencia-se uma drástica redução no volume de negócios da empresa tendo passado de 211,6 milhões de euros para 24,2 milhões.

O comportamento negativo na Venezuela é explicado pelos responsáveis da TD pela variação das diferenças de câmbio verificada no país liderado por Nicolás Maduro. “A variação negativa da Venezuela em Setembro de 2015 deve-se essencialmente à aludida alteração da taxa de câmbio – do SICAD para o SIMADI –, sendo que, desconsiderado este efeito, a Venezuela teria atingido o montante de 178,7 milhões de euros, ou seja, desconsiderado este factor, a redução relativamente ao terceiro trimestre de 2015 teria sido de apenas 32,9 milhões de euros”, explica o comunicado da TD divulgado na sexta-feira.

Noutro ponto desse mesmo comunicado, a construtora portuguesa adianta que, “no mercado das Venezuela registou-se uma redução do volume de negócios de 187,4 milhões de euros, que se justifica essencialmente pela adopção da taxa de câmbio SIMADI, que alterou a relevância em euros do volume de negócios apurado nos primeiros nove meses de 2015 naquele mercado em 154,5 milhões de euros”.

Em contraponto a esta quebra na Venezuela, a TD conseguiu desempenhos positivos nos mercados de Moçambique (subida de 100% na facturação, para 93 milhões de euros), Argélia (mais 46%, para 66 milhões de euros) e Espanha (subida de 44%, para 32,6 milhões de euros). Em Portugal, a construtora conseguiu travar o ritmo descendente, baixando a facturação em apenas 6%, para 160 milhões de euros.

“Para o quarto trimestre de 2015, prevê-se que venha a ocorrer um crescimento da actividade em vários países, com expressão na actuação da Teixeira Duarte no mercado externo, pelo que para 2015 a Teixeira Duarte mantém a previsão de atingir proveitos operacionais consolidados de 1.600 milhões de euros”, revela o comunicado, apontando para um patamar ligeiramente abaixo dos 1.680 milhões de euros conseguidos no exercício de 2014.

Controle, em pormenor, a atividade das suas máquinas e pesados nas diferentes obras.

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply