Obras no IP8 retomadas entre 2015 e 2017 | Decisão sobre Plataforma Logística do Poceirão para o segundo semestre deste ano

0

Há muito que as obras de beneficiação do traçado do IP8 entre Sines e Beja estão paradas – mais especificamente desde 2012. Trata-se de um perigo para os condutores que diariamente a cruzam e se deparam com uma estrada invadida por desníveis, objetos de sinalização e muita desarrumação, mas tudo mudará em breve. Foi o que afiançou o ministro Pires de Lima, prevendo a sua retoma e conclusão entre 2015 e 2017. A novidade foi dada durante uma reunião com alguns responsáveis políticos da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral. Também nessa ocasião foi apontada para o segundo semestre deste ano a tomada de uma decisão final quanto à construção da Plataforma Logística do Poceirão.

Só no segundo semestre de 2015 será conhecida a posição do Governo sobre a construção ou não da Plataforma Logística do Poceirão.

O ministro da Economia Pires de Lima garantiu nesta sexta-feira no decorrer de uma reunião realizada em Lisboa com os cinco presidentes dos municípios integrantes da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral, Alcácer do Sal, Grândola, Odemira, Santiago do Cacém e Sines, que as obras de beneficiação do traçado do IP8 entre Sines e Beja “ocorrerão entre 2015 e 2017”.

O governante adiantou ainda que a abertura do concurso para a atribuição da empreitada de recuperação do traçado terá início ainda em fevereiro, advertindo, contudo, que “o início do processo não significa o início das obras”.

Pires de Lima explicou aos autarcas que a conclusão das obras, que estão paradas desde 2012, não se verificou até ao momento “por dificuldades do consórcio e devido às difíceis negociações dos contratos de subconcessão”. No entanto o governante acredita que as dificuldades serão brevemente ultrapassadas.

A construção da Plataforma Logística do Poceirão foi outra das questões colocada ao ministro da Economia. Sobre esta infraestrutura “deverá haver uma decisão no segundo semestre de 2015”, assegurou o Secretário de Estado dos Transportes, Infraestruturas e Comunicações, Sérgio Monteiro, que também esteve presente na reunião.

Caso a decisão seja favorável à construção da Plataforma Logística do Poceirão, o troço do IC 33 entre Relvas Verdes e Grândola será beneficiado, estando fora de causa a construção do troço pelo interior, a partir do nó do Roncão.

Ainda sobre o IP8, os autarcas manifestaram as suas preocupações relativamente à manutenção de sinalética de obra em troços praticamente concluídos, nomeadamente entre as cidades de Vila Nova de Santo André e Sines, onde se tem registado sinistralidade grave devido aos pinos colocados no centro da via, e entre o Terminal XXI e a Barbuda, povoação do concelho de Sines.

A ligação ferroviária entre Sines e Elvas foi outro dos assuntos lançado na discussão pelos constrangimentos que tem causado ao desenvolvimento da região. Os autarcas realçaram a importância de novas acessibilidades destacando o elevado potencial económico do Alentejo Litoral, com um pólo portuário e industrial de dimensão ibérica e europeia, com produtos agrícolas e agroalimentares reconhecidos e de qualidade crescente e onde a procura turística se afirma de ano para ano.

Reagindo à preocupação expressa, Pires de Lima reiterou a importância da ligação ferroviária Sines/Elvas para o desenvolvimento económico da sub-região, assegurando que será construída a linha Sines/Casa Branca e Évora/Elvas, sem que o traçado passe no Poceirão.

Por: Carlos Dias | Fonte: Público

Share.
Saiba mais sobre:   Nacional

Leave A Reply