Isidro chegou ao Canadá com 134 euros e hoje é fabricante de máquinas que ajudam a construir o mundo

0

Chegou há quarenta anos ao Canadá para trabalhar na construção civil. Hoje permanece no setor, mas como fornecedor e fabricante de máquinas. Natural da vila de São Sebastião, nos Açores, Isidro Flores é o criador da Concord Concrete Pumps, empresa de fabrico de camiões com bombas de betão. Apesar da chegada relativamente recente ao mercado (há 15 anos), a empresa de Isidro consegue fazer frente aos “gigantes” desta área de negócio graças à prática de preços mais acessíveis do que a concorrência. Esta é uma história de sucesso de mais um entre muitos “portugueses pelo mundo”…

Na década de 70 chegou ao Canadá, saído dos Açores, para trabalhar na construção civil. Passados 40 anos, tornou-se fornecedor de máquinas. Faz camiões equipados com bombas de betão e quer destronar os líderes de mercado para conquistar os Estados Unidos.

Isidro Flores, um português de Vancouver, na costa oeste do Canadá, imigrou para o país norte-americano há 40 anos com apenas 182 dólares canadianos (134 euros ao câmbio atual) no bolso e hoje, segundo conta a agêncoa Lusa, tem uma empresa avaliada em 70 milhões de dólares (51 milhões de euros).

Proveniente de São Sebastião (Açores), Isidro Flores, de 61 anos, imigrou para o Canadá aos 24 à procura de uma vida melhor. Ao chegar ao Canadá, procurou trabalho na construção civil, e há 15 anos decidiu criar a “Concord Concrete Pumps”, uma empresa que produz camiões equipados com bombas de betão.

Fruto da experiência no ramo da construção, Isidro Flores decidiu avançar naquela indústria, fazendo concorrência a gigantes alemães e italianos, que há mais de cinquenta anos lideram aquele mercado.

“Na altura só havia duas empresas que fabricavam aquele tipo de veículos. Pensei que construir máquinas desta natureza seria como dar uma segunda oportunidade a muitos trabalhadores, especialmente à comunidade portuguesa, que é envolvida em muito deste trabalho (construção civil)”, disse o empresário à Lusa.

Isidro diz que “o preço das máquinas não era acessível”, mas explicou que, enquanto fabricante, quis reduzir o preço, “dando mais oportunidades àquelas empresas”.

 

A maior máquina para atacar os todo-poderosos
A Concord está neste momento a construir a maior máquina para os Estados Unidos, ou seja “a maior máquina em termos mundiais”, que, segundo a crítica dos profissionais do setor, disse, “é a mais potente, aquela que oferece mais segurança e qualidade”, competindo contra o hegemonia alemã e italiana.

A sede da companhia está localizada em Port Coquitlam, a 30 quilómetros de Vancouver, contando com 60 empregados. A fábrica principal está localizada em Gyeongsangnam-do, na Coreia do Sul, tendo nos seus quadros 150 operadores.

A fábrica na Ásia serve atualmente mercados como a Jordânia e Austrália, sendo que a empresa situada na Colúmbia Britânica serve todo o mercado norte-americano e México e ainda o Brasil.

Isidro Flores disse ainda que não tem dúvidas de que a sua empresa é também hoje em dia “muito competitiva, tanto para o mercado português como para o europeu”.

“Como a Concord apenas existe há 15 anos, embora seja um produto com qualidade, ainda não é conhecida comparativamente com empresas que estão no mercado há cinquenta ou sessenta anos”, realçou.

Em termos de futuro, o luso-canadiano disse que pretende dentro de dois anos “liderar o mercado dos Estados Unidos”.

A Concord Concrete Pumps produz mensalmente 12 máquinas, cerca de 100 por ano. O maior veículo está dotado com uma superbomba que tem um alcance de 62 metros. A matéria com que são fabricadas as bombas de betão é importada da Suécia (ferro) e os componentes hidráulicos da Alemanha.

Fonte: Rádio Renascença | Fonte (imagem): Catálogo Concord Concrete Pumps

Controle a atividade das suas máquinas com a ajuda da localização por satélite.

Share.
Saiba mais sobre:   Máquinas e materiais

Leave A Reply