Em Angola já não há condições e 80 mil já regressaram a casa

0

O alerta surge da parte da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário (CPI), que revela a dramática situação vivida por várias empresas portuguesas do setor da construção a operar em Angola, no seguimento da crise de reserva de dólares deste país.

As condições para as cerca de 13 mil empresas portuguesas do setor de construção e dos seus 200 mil trabalhadores, parece estar a agravar-se ainda mais nestas últimas semanas, levando a que cerca de 80 mil portugueses já tenham regressado a casa.

Não parece existir uma solução viável, o que faz com que os bancos angolanos estejam sem dólares para dar aos clientes e as empresas sem dinheiro para pagar a fornecedores e trabalhadores. Para o presidente do CPCI, Reis Campos, não existem grandes opções para as empresas prosseguirem a sua “não têm matérias-primas, não têm os trabalhadores remunerados, querem resolver o problema, mas não têm uma situação fácil, acrescentando ainda que “as linhas de crédito não funcionam e as entidades bancárias angolanas também não resolvem este problema”.

As reservas de dólares nos bancos angolanos nunca estiveram tão baixas devido à crise financeira e cambial que o país atravessa, pressionado pela queda do preço do petróleo. Muitos bancos já limitaram as entregas a mil dólares por cliente por semana.

As empresas são obrigadas a pagar os salários em kwanzas, mas mesmo estas transferências estão a ser dificultadas. “Já há alguns meses de atraso nessas transferências, que, segundo informações, têm sido, e vão ser, mais difíceis”, aponta Reis Campos.

Com os bancos sem dólares, o mercado informal acaba por ser a solução para muitos trabalhadores, que acabam por lá deixar parte do ordenado. Na última semana, o dólar estava a ser transacionado a uma taxa média de 155 kwanzas, mas, no mercado de rua, já se pede mais de 350 kwanzas.

Por: Sandra Afonso | Fonte : Rádio Renascença (adaptado)

Controle, em pormenor, a atividade das suas máquinas e pesados nas diferentes obras.

Share.
Saiba mais sobre:   Internacional

Leave A Reply