Construção civil portuguesa insta Governo a tomar decisões urgentes para o setor (com vídeo)

0

A construção civil portuguesa arrisca-se a regredir brutalmente caso não sejam tomadas decisões importantes a curto prazo. O alerta é dado pelos patrões e sindicato do setor, que se reuniram ontem para avaliar a situação e relembrar os compromissos assumidos pelo Governo de Pedro Passos Coelho. Subjacentes à reunião, duas preocupações principais: a gritante taxa de desemprego do setor, de 150 postos de trabalho por dia, e o risco de agravamento caso os compromissos sejam esquecidos ou protelados pelas eleições legislativas.

Albano Ribeiro do Sindicato da Construção Civil relembra esses compromissos e enumera os mais significativos: Parque Escolar, Plano de Reabilitação Urbana e Plano de Barragens. Três investimentos que, fazendo as contas, se traduzem na criação de cerca de 81.000 postos de trabalho. Já Ricardo Pedrosa Gomes da Federação Portuguesa da Indústria e Obras Públicas sublinha como prioridade o Plano Estratégico dos Transportes bem como a reabilitação urbana.

Todos pedem ao Governo rapidez e flexibilidade na resolução das obras atualmente em compasso de espera. Reis Campos, presidente da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) teme o regresso ao “passado catastrófico” vivido na construção portuguesa há não muito tempo, caso não sejam tomadas medidas durante os próximos dois meses.

Share.
Saiba mais sobre:   Nacional

Leave A Reply